segunda-feira, 20 de abril de 2015

A calcular destino...

Monte Rodel. ( foto tirada por mim) 



Na vida somos aquilo que deixamos que a vida faça connosco. Se cairmos ora bem, temos bom remédio... é levantarmo-nos, se sairmos da rota é redireccionar, se perdermos o norte é calcular destino... mas a palavra de ordem é sobreviver, prosseguir, e esquecer o que não temos para apostar em ser feliz com o que temos.


A vida é curta, demasiado curta, e toda a gente sabe que a morte e a doença moram ali na porta ao lado, por isso por aqui quebra-se regras, pisa-se o risco, arrisca-se demais, ama-se intensamente e de verdade, sente-se prazer sem pudores nem falsos moralismos, vive-se a vida, perdoa-se rapidamente, não se persiste na raiva, luta-se com unhas e dentes por aquilo que importa, dá-se valor às pequenas coisas, não se insiste no desgosto, não se magoa deliberadamente, tenta-se não trabalhar demais, aproveita-se tudo o que pode valer a pena, aceita-se a amizade desinteressada, não se exige nada, não se espera nada e não se valoriza a despeita. 

Sobretudo ri-se a bandeiras despegadas, e faz-se por nunca parar de sorrir por mais estranho que seja o motivo, mesmo os mais idiotas e desprovidos de sentido.
Pelo caminho e enquanto o meu gps de vida calcula o destino, sigo estrada fora pelo prazer em viver e em continuar a viagem...




8 comentários:

  1. Olá, AC.
    Bonito e inspirador. Quase poderia ser um postulado da felicidade ;)
    Acima de tudo rir, rir muito, mesmo pelos motivos "mais idiotas e desprovidos de sentido" - quando perdemos a faculdade de rir, já estamos a correr sérios riscos de vida.

    abç amg

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Carmen Grinheiro: Que nos levem tudo menos a capacidade de sorrir. Quem perde o sorriso perde a vontade de viver.

      Beijinho*

      Eliminar
  2. E não é que fazes mesmo muito bem? :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Son da Mamã: Sou uma "idiota" , tenho sempre excelentes ideias.

      Eliminar
  3. O destino não se calcula, e nem é uma simples operação matemática,faz-se e tu pela pessoa que pareces ser sabes fazê-lo bem.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo: Não sei nada, não faço nada particularmente bem, não me destaco em nada. Vou seguindo o meu instinto em ser feliz vou aproveitando as chances que tenho.

      Beijinho*

      Eliminar
  4. Parece que tenho mesmo de te dar ouvidos ;) Mas por cá também se vive assim, ou pelo menos tentasse que sim...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hismindaway: Pode parecer um cliché ou uma banalidade mas cada dia é único para viver e não pode ser desperdiçado porque não volta mais. Quem não nos quer, não nos merece. Essa deve ser a verdade que nunca se deve esquecer...

      Eliminar

Diz aí nada ou coisa nenhuma.