terça-feira, 16 de agosto de 2016

Inteligência em demasia parece que atrofia... até rima e tudo!

Jesse Owens contra Hitler.

Fotografia feita em 1936 durante os Jogos Olímpicos de Berlim. O atleta norte-americano, negro - Jesse Owens - ganhou quatro medalhas de ouro, contrariando o desejo de Hitler de mostrar a supremacia branca. A fotografia da cerimonia é uma das mais emblemáticas da história do desporto. Fotografia: Associated Press


Ser inteligente é bom. Pelo menos os entendidos dizem que sim, eu ainda não o comprovei pessoalmente, mas adiante. E toda a gente sabe que ser mesmo muito inteligente deve ser melhor ainda. Só que não. Parece que não é. No meu percurso de vida cruzei-me em algumas situações com gente realmente muito inteligente, capaz de arrasar a melhor das teorias, capaz de aniquilar o melhor dos argumentos, ou capaz de me reduzir à insignificância no melhor dos diálogos, sim, tudo isto verdade, mas comprovo também que pessoas muito inteligentes roçando a genialidade têm tendência a um egocentrismo exagerado, quase doentio. Vivem para o culto do eu; eu tenho razão, eu sou melhor, eu sei, eu mando, demonstrando por isso pouca tolerância para  com os outros, pouca empatia, isolando-se do exterior e vivendo em êxtase com o ego.

A maior parte das vezes recorrem à crueldade para espezinhar quem os rodeia, afastam-se com arrogância e desdenham da amizade ou lealdade que lhes é oferecida e transformam-se rapidamente em seres demasiado egoístas, manipuladores, vingativos, desprovidos da capacidade de se relacionarem com os outros, de aprenderem qualquer coisa com os menos inteligentes ou virem sequer a sentir culpa pelo seu comportamento.

Tenho uma teoria. Só minha. Idiota qb, e que vale o que vale. Como somente os idiotas têm certeza de tudo e garanto-vos, digo isto com certeza absoluta. Demasiada inteligência aniquila o lado sensível, colorido e emocional do ser humano. Torna os génios, racionais, focados, apáticos para o exterior, bloqueados para a vida e para os outros, gente sozinha e infeliz.

Sempre orgulhosamente e inteligentemente sós!

12 comentários:

  1. Tipicamente, todo o individuo que possua uma inteligente superior tem alguma falha comportamental no que diz respeito à socialização. É mesmo falha no cérebro. Curiosamente estava a ler este artigo ainda há pouco: http://www.independent.co.uk/life-style/health-and-families/health-news/research-suggests-being-lazy-is-a-sign-of-high-intelligence-a7176136.html

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Jedi Master Atomic: Verdade. Na inteligência e mais ainda na genialidade acredito que hajam falhas graves na relação com os outros e
      inclusive alguma perigosidade nessas pessoas... loucura, poder, medo.

      Eliminar
  2. An important moment in history.
    Thanks for sharing.
    xx

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Rick Forrestal: Yes, it was.
      Big men makes history.

      Eliminar
  3. O egocentrismo funciona para os dois lados, isto é, para os que são genialmente inteligentes (alguns) e para os que são imensamente burros (imensos). Em comum ambos têm um receio enorme, a insegurança completa:
    - Os inteligentes de não o serem sempre e em todas as matérias;
    - Os burros que alguém descubra que não são inteligentes de todo!

    Em suma, ninguém é perfeito, mas alguns pensam que o são!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. L'Enfant Terrible: Insegurança. Aliado a esse factor vem o exercício da força, do poder, do controlo absoluto do que os rodeia e isso assusta-me. Fujo de gente muito inteligente e fujo de gente burra de todo.

      Eliminar
  4. Conheço um caso assim, tal e qual. Mas foi preciso ler-te hoje para identificar o egocentrismo dessa pessoa. Tu és Esperta :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sol: Não sou esperta.Sou observadora, e muito...

      Eliminar
  5. Olá AC,

    Que post interessante!
    Concordo com o que escreveste e mesmo que me tenha levado a pensar coisas negativas de mim (mesmo que eu esteja longe de ser muito inteligente).
    Cada ser é único e essas caraterísticas que podem ser comuns a muitos génios, podem também viver em quem não o é.
    Nos casos normais de inteligência, acho que saber demais atrapalha... Faz-nos pensar mais, questionar mais, recear mais e exigir mais. No fundo, sentir mais pela negativa. Por vezes, a ignorância é uma bênção.
    Nunca me seduziram aquelas pessoas muito inteletuais e que parecem que só vivem disso. Vai-se a ver e não sabem interagir emocionalmente com os outros. Ter um gesto de carinho, planear uma surpresa, dar um beijo inesperado. Chegam até a ser desajeitadas a abraçar, quando se lhes toca. No entanto são cultíssimas.
    Tive um colega no liceu que até no exame nacional de matemática tirou 20 (aliás, as notas dele eram de 18 para cima. Acabou o liceu acho que só com 19 e 20). Entrou na universidade num curso para o qual não era precisa grande média. Lá, as notas não eram como até ali, a namorada acabou a relação e ele matou-a (foi notícia nos media). Ele acabou por se matar na prisão. Anda tudo ligado.
    Desculpa me ter alongado

    Beijinhos :)



    Rita

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Rita: Atingiste aquilo que eu quis dizer... a inteligência traz consigo pessoas anti sociais, problemáticas, egoístas, depressivas e controladoras. Tudo isto gera uma bomba que a qualquer momento está pronta a explodir...

      Beijinhos

      Obrigada pela partilha desta história de vida.

      Eliminar
  6. A Supremacia racial constatada por hitler era a civilizacional. as civilizaçoes Suméra ,hindu,persa grega e romana foram todas fundadas por Arianos .

    No caso da olimpiada de 1936 ,a Alemanha se sagrou campea conquistando o maior numero de medalhas.

    ResponderEliminar
  7. http://nazismo-verdades-e-mentiras.blogspot.com.br/2016/08/a-verdade-sobre-hitler-nazismo-jesse.html?m=1

    ResponderEliminar

Diz aí nada ou coisa nenhuma.