quarta-feira, 24 de agosto de 2016

É surda ou quê?




- São 2 g de Cefazolina ev para esta doente.
- Como?
- São 2 g de Cefazolina ev para esta doente.
- 2g?
- Sim mulher! Irra que é preciso repetir vinte vezes. 
- Tem a certeza Doutora M.?
- Sim! Você cansa-me.
- Tem mesmo a certeza?
- Você é surda ou quê? Eu repito: São 2g de Cefazolina ev! 
- A senhora é que é a médica, mas lembro-lhe que a doente só tem 45 quilos. 
- Ah... Desculpe. Então faça só um grama!

E a minha vida é isto...

*Oiça tudo com mini som!

18 comentários:

  1. Espero que a Doutora estivesse cansada depois de um turno de não sei quantas horas e/ou de ver um chorrilho de doentes seguidos. Não desculpa, mas atenua o erro.

    Porque se há área que eu respeito é a dos médicos e o seu trabalho. Não gostava de perder a confiança neles.

    Ah... E como sempre, gostava de ter uma enfermeira do teu calibre quando estivesse internado por este ou aquele motivo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Silent Man. Toda a gente se engana. Não há profissionais perfeitos. Não há médicos infalíveis... nem sequer enfermeiros. Daí se trabalhar em equipa, em equipas multidisciplinares, não vem mal ao mundo por uma auxiliar me dizer não põe penso compressivo? ou .. não vai levantar a cabeceira do doente?

      Todos nos complementamos, e é para isso que todos estamos lá. A minha função é estar atenta e educadamente (como fiz) sem arrogância ou manias tentar que fosse ela a detectar o erro. E assim aconteceu.

      Tudo é bom quando acaba em bem. E é isso que se pretende a bem do doente.

      Eliminar
  2. Tens de te explicar rapariga... senão passas por surda.
    :*

    Vou contar-te uma história que se passou com uma familiar minha, numa altura em que recebeu em casa um casal amigo para jantar, mais a mãe da senhora desse casal, uma velhota simpática e de cabelos brancos. Havia era um problema para comunicar com ela: era polaca... e não falava português.
    Então de vez em quando essa minha familiar queria oferecer-lhe algo à mesa ou saber se ela precisava de alguma coisa... e fazia-o a falar-lhe devagar e muito alto!
    Eis quando o amigo da minha familiar, genro da senhora, lhe diz: «Ó R. ... a minha sogra não é surda, só não entende português!» :))

    Beijinhos sonoros
    (^^)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Afrodite: Sabes que há essa tendência... quando não nos entendem achamos que se falarmos mais alto e separando as silabas nos vão perceber...é errado. Já assisti a cenas com doentes de leste que é só rir...

      Beijinhoooo Menina Afrodite.

      Eliminar
  3. E umas orelhas de burro para a doutora não há por aí?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. L'Enfant Terrible: Ela estava mesmo a leste. Não fez por mal e episódios destes acontecem quase todos os dias, o que não é muito frequente é chamarem-me surda... mas adiante.

      Eliminar
  4. e mandar pro c* ..isso e k era...

    beijinhossss


    saudades..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Terapia das palavras: Em regra sou uma pessoa calma, muito zen, raramente me stresso, não discuto e acato bem ordens mesmo as que me parecem parvas. Tenho uma excelente capacidade de me adaptar rapidamente a todas as situações e a vários comportamentos e facilmente me alheio se alguma coisa me estiver a incomodar sem gerar conflito.

      Beijinho

      Saudades também..:))

      Eliminar
  5. Respostas
    1. Conta corrente: ahhhh ...Conta Geral..

      Eliminar
  6. Ac
    Há anos li um livro que confirmava isso mesmo que aqui escreves. O estudo indicava que a grande maioria dos enfermeiros que tinham a ousadia de emendar os médicos mais tarde eram despedidos ou postos na prateleira.
    Continuas a dar sinais de muita coragem nos teus escritos e dizes muito com poucas palavras que é o calcanhar de aquilos dos tipos que se dizem jornalistas e comentaristas e depois ninguém tem paciencia para os ler/ouvir.
    Beijinhos do Joaquim

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Joaquim: Ali não... agora é preciso é saber fazê-lo. Não te vais pôr armado em sabichão, eu é que mando nisto tudo, e a chamar declaradamente incompetente ou burro ao médico porque dessa forma vais abrir caminho a uma luta e a um conflito que não te vai levar a lado nenhum. O ideal é perguntar várias vezes e depois afirmar qualquer coisa de forma despercebida para que ele rectifique o erro. Normalmente resulta. Se não resultar (e já me aconteceu) fazes o papel de parvo e com a nota de prescrição perguntas a um médico mais velho, ou ao chefe de equipa, peço desculpa .. está aqui isto assim escrito mas eu não percebo muito bem se é mesmo isto, é que não me pareceu que fosse isso o que leio. E ele agradece-te e rectifica o erro.

      Beijinhos Joaquim

      Eliminar
  7. Estragaste-lhe o arranjinho. Ela devia querer 1g só para ela, por isso pediu 2g :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Jedi Master Atomic: É antibiótico... não ia muito longe com o grama a mais daquilo.

      Eliminar
  8. Coisa feia a corrigir o Sr. "Doutor"....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Son da Mamã: Eu não corrigi... pois o giro foi isso. Eu fiz-me de surda para ela ter que repetir e dar pelo erro.

      Eliminar

Diz aí nada ou coisa nenhuma.