terça-feira, 29 de setembro de 2015

Tivesse ela mil razões para explicar o inexplicável...




Deitou-se cansada depois de muitas horas de trabalho. Vinte e quatro seguidas segundo parece. Nada que aquele corpinho não aguente, habituado que está às rotinas de trabalho. Adormece ferrada assim que a cabeça toca na almofada. Num sono profundo. Ignorando o mundo. Despreocupadamente.

Já de madrugada sussurram-lhe ao ouvido vindo do nada, como se de um sonho se tratasse. Psiuuu, acorda. Exactamente assim. Com uma voz suave, meiga. Ela ressuscita do sono, estremunhada, como se estivesse a sonhar. Se calhar estava. Ou não? Primeiro tenta perceber o que se passou. Em seguida finge que não se passou nada e tenta de novo adormecer sem ter visto sequer as horas. Porque sim. Porque não sabe como explicar o que aconteceu e o que não tem explicação explicado está.

Assim que fecha os olhos, decidida a encerrar por aqui a história, o despertador toca. 
Eram de facto horas de acordar.

4 comentários:

  1. Ai tantas manhas dessas ultimamente...pena não me sussurrarem ao ouvido e ser ou o alarme do telemóvel ou telefonemas, ai!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. PM: Mas a mim foi mesmo a sussurrarem-me ao ouvido Psiuuu acorda... lá que é estranho é mas devia ser o meu subconsciente a dar-me ordem para acordar.
      Há sempre uma explicação racional para tudo mesmo que a desconheçamos.

      Beijinho

      Eliminar
  2. Já me aconteceu... :-) e ainda bem que aconteceu... porque eu não tinha ligado o despertador na noite anterior e, quando acordasse, estaria atrasadíssima para ir trabalhar!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gata: A mente tem mistérios fantásticos...

      Eliminar

Diz aí nada ou coisa nenhuma.